PF prende ex-donos da Avianca em operação que investiga contrato da Transpetro

19 de agosto de 2020 | _

A PF (Polícia Federal) cumpriu, na manhã desta quarta (19), 2 mandados de prisão em São Paulo e 6 de busca e apreensão em Alagoas e Rio de Janeiro. A operação faz parte da 72ª fase da Lava Jato e as ordem judiciais foram expedidas pela 13ª Vara Federal em Curitiba.

Os detidos são os irmãos Germán Efromovich e José Efromovich. Eles são suspeitos de envolvimento com um esquema de fraudes em licitações e pagamento de propina a altos executivos da Transpetro, subsidiária da Petrobras responsável pelo transporte de combustíveis por meio de navios e dutos.

Os empresários são donos do estaleiro Eisa – Estaleiro Ilha S.A. A família Efromovich é controladora da Avianca Holdings, mas a companhia não é citada nas investigações.

A operação foi batizada de “Navegar é Preciso”. A força-tarefa suspeita que 1 estaleiro contratado por R$ 857 milhões para fornecer navios tenha pago propina para 1 funcionário da Transpetro

A propina teria sido disfarçada por meio de 1 contrato falso de investimento com uma companhia estrangeira.

Segundo a PF, o esquema funcionava através de contratos de compra e venda de navios entre a Transpetro e o estaleiro investigado. Essas negociações eram no Promef, programa do governo federal para reestruturação da indústria naval brasileira.

A contratação investigada teria sido feita sem levar em conta estudos feitos por consultorias. A PF diz que os estudos apontavam que o estaleiro contratado não teria as condições técnicas e financeiras para a construção dos navios.