Covid-19 registra tendência de queda no Brasil e em Natal; queda de infectados já atinge 36% e de mortes em 33%,

19 de agosto de 2020 | _

Em sua décima semana de monitoramento, apresentamos os gráficos e a análise da evolução epidemiológica da COVID-19, no Brasil, no RN e em Natal, elaborados pelo engenheiro Henrique Santana, com base em dados oficiais publicados pelo Ministério da Saúde (https://covid.saude. gov.br/) e pelo LAIS/ UFRN / SESAP (https://covid.lais.ufrn.br/), a partir da média semanal do incremento diário de novos infectados e óbitos.

Esta análise visa, tão somente, a avaliação da tendência nos números na evolução da pandemia. Semanalmente são atualizados os números que originam esses gráficos, pela correção de casos diferidos e incluídos em datas passadas.

No Brasil, as médias das últimas três semanas confirmam uma fase de queda de novos casos da COVID-19, com redução média semanal de 3% nesse período. Quanto ao número de novos óbitos, finalmente se modifica a tendência de horizontalidade da curva, que insistia na média móvel semanal em 1.000 mortes diárias.

Esta semana tivemos uma redução de 5% no número de óbitos causados pelo Sars-CoV-2. Devido ao crescimento da pandemia em alguns estados, mantém-se a necessidade de um monitoramento regional que permita avaliar esta variabilidade e tomar medidas de enfrentamento e de segurança.



RN, a semana epidemiológica repete a tendência de redução nos números de novas contaminações e de óbitos causados pelo coronavírus. A redução média das últimas 3 semanas foi de 40% em relação ao número de novos casos confirmados.

Em relação ao número de novos óbitos diários, essa média também foi negativa em 24%, embora nesta semana tenha havido um leve aumento, passando de 7,86 para 8,00 mortos por dia em todo o estado



Em Natal, os dados ratificam o decréscimo estável nos números diários de novos contaminados e de óbitos. Nas últimas três semanas os números de infectados decaiu em 36% e de mortes em 33%, na média semanal. Nesta semana, acompanhando os números do estado, houve um leve incremento positivo no número da média diária de óbitos, passando de 2,14 para 2,43 casos.