PF faz operação no Rio de Janeiro e apura irregularidades na Petrobras

18 de junho de 2020 | _
A Polícia Federal realiza, nesta quinta (18), a Operação Sem Limites II - 71ª fase da Operação Lava Jato - no Rio de Janeiro, em endereços localizados na capital fluminense, Petrópolis e Cabo Frio. As investigações miram o setor de compra e venda de petróleo e derivados da Petrobras.

Cerca de 40 policiais cumprem 14 ordens judiciais, sendo 12 mandados de busca e apreensão (7 na cidade do RJ, 1 em Cabo Frio e 4 em Petrópolis) e 2 ofícios para obtenção de dados telemáticos (virtuais) em Petrópolis. 

Segundo informações da Polícia Federal em Curitiba (PR), também foram expedidas ordens para o bloqueio de recursos no valor do limite dos prejuízos identificados até o momento - cerca de R$ 17 milhões. As ordens judiciais foram expedidas pela 13ª Vara Federal da Justiça Federal em Curitiba.

Os agentes deixaram a sede da PF, no centro da capital fluminense, por volta das 5h15, seguiram para bairros nobres e casas de alto padrão, e cumprem mandados de busca e apreensão. Os policiais se dividem principalmente entre Ipanema, Jardim Botânico e Gávea, na Zona Sul do RJ, e na Barra da Tijuca, Zona Oeste. A PF não informou o nome do alvo da operação.

No Jardim Botânico, os policiais tiveram dificuldades para entrar no endereço pois os moradores do prédio - que não conta com porteiro - não queriam abrir a portaria. Os agentes acionaram um chaveiro e pularam o portão do condomínio. Os moradores ficaram assustados porque acharam que poderia se tratar de um golpe e chamaram a Polícia Militar. Após os esclarecimentos, a PF conseguiu entrar de fato no local por volta de 6h20. 

Na Barra da Tijuca, policiais tentaram contato com os moradores de uma residência por volta das 6h, mas ninguém atendeu. Os seguranças do condomínio informaram que o casal que mora no local está em Portugal desde o início da pandemia do novo coronavírus, e a residência tem sido frequentada apenas por funcionários. Os agentes apreenderam computadores e reuniram documentos.

CNN Brasil