Macau: Será que já atingimos o pico da estupidez humana?

8 de junho de 2020 | _
de Aluísio Viana
Secretário de Educação de Macau

Estamos diante de um momento atípico na era das tecnologias  de informação, onde predomina a desinformação, a má informação e principalmente a manipulação.

Recentemente a primeira dama de Macau, Andrea Lemos, foi vítima de vários áudios – que lhe caluniam – divulgados por Denny Thierry – ex-secretário de esporte da atual gestão.

Outra, é comum alguns edis agirem de maneira intempestivas, movidos pelo ódio,  na ânsia de criticar a atual administração  se utilizam das redes sociais para fazer chacotas, numa demonstração de imaturidade.

Para  ter a ideia da insensatez de alguns, o secretário de Infraestrutura, João Neto, tentou alugar um carro de som para divulgar as ações de combate a pandemia do coronavírus, mas não conseguiu porque o proprietário do carro disse que como era para a prefeitura não alugaria. É lamentável que pessoas partam para o radicalismo político esquecendo-se da humanização.

Por mais que a atual administração invista na saúde, na educação, na assistência social, na infraestrutura e em outras áreas, não reconhecem e tentam descontruir por meio da indústria do boato, com intuito de tirar proveito político. Apostando assim no quanto pior melhor.

Até quando esse clima de incentivo ao ódio, a insensatez e aos delírios irá prevalecer? A quem interessa querer criar uma desordem e a instabilidade da população macauense?

Somos humanos e passíveis de erros e acertos.  Mas não podemos nos deixar levar pela intolerância, a ponto de renunciar a racionalidade. Independente das divergências – sejam elas em qualquer aspecto –

o respeito ao outro tem que prevalecer, é assim que funciona numa sociedade civilizada.