Fabrício Queiroz negocia delação premiada

26 de junho de 2020 | _

Seguindo a linha de "quem não deve não teme", não é para haver reboliço ou corregia sobre a possível delação do ex-assessor e amigo da família Bolsonaro, Fabrício Queiroz, onde a CNN anunciou que fontes envolvidas na investigação teriam dito que a maior preocupação de Queiroz é com a família. Ele também teria pedido para cumprir prisão domiciliar.

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) e a defesa de Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, atualmente senador, estariam negociando um acordo de delação premiada, segundo a CNN Brasil.

A CNN cita fontes envolvidas na investigação e afirma que a maior preocupação de Queiroz é com a família dele. Ele desejaria garantias de proteções no processo para a mulher, Márcia Aguiar de Oliveira, que está foragida, e para as filhas, Nathalia Mello e Evelyn Mello, todas investigadas no “esquema da rachadinha”, prática em que os funcionários dos gabinetes devolvem parte de seus pagamentos a políticos e assessores. Queiroz também teria pedido para cumprir prisão domiciliar.

A emissora diz ainda que as negociações estariam caminhando com lentidão, porque os promotores querem garantias que o ex-assessor de Flávio Bolsonaro tenha informações novas para apresentar e não apenas relatar fatos que a investigação já conseguiu remontar.