Em nota, presidente da Câmara submete o caso de "embriaguez" de vereador durante sessão à Mesa Diretora para análise de decoro

18 de junho de 2020 | _
O caso ocorrido na noite desta quarta (17) em sessão ordinária, através de videoconferência na Câmara de Macau, onde a vereadora e presidente Dyana Lira, solicitou a retirada do vereador Carlinhos do Valadão da plataforma digital, por incorrer por várias vezes com atitudes contrárias as normas regimentais e éticas da Casa, a presidência emitiu nota de esclarecimento sobre o assunto.

O caso da participação do vereador Carlinhos na sessão, 2º a presidente em suposto estado de embriagues, será submetido à deliberação da mesa diretora que irá analisar se houve existência ou não de indícios de falta de decoro parlamentar, para que sejam tomadas a providências cabíveis. 

Eis a nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em decorrência do fato ocorrido ontem, 17, na sessão remota da Câmara Municipal de Macau, devo esclarecer.

1º- O vereador Carlos Antônio, mais conhecido como “Carlinhos Valadão”, comportou-se na referida sessão de forma diferente do habitual, onde interrompia os pares frequentemente, e por diversas vezes, eu como presidente da Casa, o interrompi e pedi para se retirar da plataforma virtual, pois não estava dando bom exemplo, indo de encontro às normas de ética parlamentar e ao Regimento Interno;

2º-Quanto à situação de embriaguez, não posso confirmar, mas pela postura do seu comportamento atípico e a expressão facial, deduzimos que ele não estava, repito, em suas condições normais para participar de uma sessão legislativa, embora que remota;

3º– Como nossa gestão preza pelos preceitos da transparência e principalmente pela moralidade, a sessão está gravada e qualquer cidadão ou instituição que nos solicitar, estará à disposição para que tirem suas próprias conclusões; 

4º-Também gostaria de esclarecer que as sessões remotas são realizadas em ambiente virtual, onde cada um dos Vereadores deve, de preferência, estar em suas casas ou escritórios de trabalho; 

Por fim, esclareço que essa modalidade de sessão surgiu em virtude da pandemia do coronavírus e das recomendações de isolamento social para evitar a reprodução do vírus, sendo de responsabilidade do Vereador seus atos e comportamentos durante as reuniões; 

O caso está sendo submetido à deliberação da mesa diretora para análise sobre existência ou não de indícios de falta de decoro parlamentar e providências cabíveis.

No mais, nos colocamos à disposição das autoridades e da sociedade macauense para os esclarecimento que julgarem necessários aos atos administrativos desta augusta casa legislativa.