Bolsonaro diz que demite, voltou a trás mas hoje pela manhã saiu a exoneração do diretor da PF

24 de abril de 2020 | _
O presidente Jair Bolsonaro demitiu nesta sexta (24) o delegado Maurício Valeixo da diretoria-geral da PF (Polícia Federal). A decisão levou o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) a ameaçar deixar o governo federal na quinta (23).

A PF é subordinada ao Ministério da Justiça de Segurança Pública. Com a saída de Valeixo, o presidente enfraquece o ministro mais popular do governo.

Valeixo e Moro são muito próximos. O delegado foi superintendente da PF no Paraná durante a operação Lava Jato. Ficou no cargo até novembro de 2018, quando foi escolhido pelo ministro para ser o diretor-geral.

Com a confirmação da saída de Valeixo – que é abominado pela família Bolsonaro –, Moro anunciou que fará um pronunciamento às 11h desta sexta no Ministério da Justiça. É esperado que o ministro se demita, conforme ele próprio informou ao governo nesta quinta, ao saber da trama bolsonarista para rifar Valeixo.

Segundo o colunista Chico Alves, do UOL, o descontentamento maior do presidente com a Polícia Federal está ligado “às investigações que fustigam o filho 03, o deputado Eduardo Bolsonaro (DEM-SP)”. O parlamentar estaria especialmente preocupado com a CPMI das fake news, a ponto de ter recorrido ao Supremo Tribunal Federal para tentar impedir sua prorrogação da CPMI..