Ex-governador Ricardo Coutinho é procurado pela Interpol

17 de dezembro de 2019 | _
Exemplo de boa gestão na Paraíba em momentos difíceis para Estados e municípios brasileiros em que passavam por várias dificuldades, a administração do então governador Ricardo Coutinho (PSB) era só relógios pelos 4 cantos do Brasil. Coutinho era até bem pouco tempo, convidado a dar palestras sobre o “milagre na Paraíba”. Exemplo e figura que não poderia faltar em evento do partido PSB por toda parte do país.

Mas, não demorou muito como de costume e a máscara caiu. Ricardo Coutinho na verdade era apenas mais 1. Mais 1 farsante brincalhão com a “coisa pública”, revelou-se em mais 1 canalha socialista que liderava uma quadrilha. Quantos ainda vão surgir, cair suas máscaras?

Hoje a Paraíba e o Brasil conhece a verdade sobre a “grandeza” da gestão de Coutinho, onde ele conseguiu ser o principal alvo da nova fase da Operação Calvário, batizada de Juízo Final, desencadeada nesta manhã de terça (17), com seu nome incluído e encabeçando a lista de procurados da Interpol.

O socialistas integra a lista de 17 agentes públicos e empresários com mandados de prisão.

Mandados de prisão:

Ex-governador Ricardo Coutinho,  deputadas estaduais Estela Bezerra e Cida Ramos, a prefeita de Conde, Márcia Lucena, a ex-secretária de saúde do Estado, Cláudia Veras, assim como o ex-procurador Gilberto Carneiro e o atual secretário-chefe de Governo, Edvaldo Rosas.
Coriolano Coutinho, Bruno Miguel Teixeira de Avelar Pereira Caldas, José Arthur Viana Teixeira, Breno Dornelles Pahim Neto, Francisco das Chagas Ferreira, Denise Krummenauer Pahim, David Clemente Monteiro Correia, Márcio Nogueira Vignoli, Valdemar Ábila, Vladimir dos Santos Neiva e Hilário Ananias Queiroz Nogueira.