PF prende juiz em Operação Faroeste; a cara do judiciário

23 de novembro de 2019 | _
A Polícia Federal prendeu, na manhã deste sábado (23), o juiz Sérgio Humberto de Quadros Sampaio, da 5ª Vara de Substituições da Comarca de Salvador (BA). O juiz é investigado por suposto envolvimento com 1 esquema de venda de sentenças, que já havia culminado no afastamento do presidente do TJ-BA (Tribunal de Justiça da Bahia), Gesivaldo Britto.

A prisão temporária do juiz (válida por 5 dias, prorrogáveis por mais 5) decorre da operação Faroeste, que investiga esquema de vendas de sentenças relacionadas à grilagem de terras no oeste baiano. Além do presidente do TJ-BA, outros 4 magistrados já haviam sido afastados –dentre eles o próprio Sérgio Humberto, preso neste sábado.

O mandado de prisão temporária de Sérgio Humberto foi expedido pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), que também mandou prender José Valter Dias, apontado como 1 dos maiores proprietários de terras da região. Dias ainda não foi localizado pela polícia.

Além da suposta venda de sentenças, os desembargadores e juízes investigados na operação Faroeste são acusados de cometer crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de ativos, evasão de divisas, organização criminosa e tráfico de influência no Estado.

Segundo o STJ, Sérgio Humberto de Quadros Sampaio mantinha uma vida de luxo. Sua residência foi avaliada em R$ 4,5 milhões, com aluguel mensal de R$ 10 mil, sem incluir o valor da taxa de condomínio. No local, a polícia encontrou carros de luxo, relógios da marca Rolex e joias.