Paulo Guedes, o dólar e a desaceleração da economia

26 de novembro de 2019 | _
Semana conturbada na economia com impulsionada pelas frases do ministro da economia Paulo Guedes. Em entrevista coletiva concedida em Washington nesta segunda (26), o ultraliberal ministro da economia, afirma que se fosse presidente da Petrobrás demitiria grevistas que lutam contra privatização. Paulo Guedes não parou por aí e continua atirando sem conseguiu conter a boca e admitiu qual o seu verdadeiro desejo em relação Petrobras.

Para Guedes a estatal tem que ser privatizada e demitir todos os trabalhadores.

Seguindo ainda com ataques Guedes não se aguenta e ameaça: “Não se assustem se alguém pedir o AI-5”.

Tremendo de medo do retorno da luta de classes e das massivas mobilizações que tem tomado conta de vários países na América Latina, o ministro da economia Paulo Guedes confessou que o governo Bolsonaro desacelerou os ataques com medo de possíveis mobilizações também no Brasil.

Hoje o dólar comercial bateu todos os recordes, se destacam entre os fatores que influenciam o aumento do dólar a instabilidade política e a presente indefinição do cenário eleitoral. Por falar demais o Brasil paga o pato.