MEC anuncia escolas Cívico-Militares

23 de novembro de 2019 | _
Das 54 escolas, serão 38 estaduais e 16 municipais, que estarão espalhadas por 23 estados e pelo Distrito Federal já no ano que vem, 19 na Região Norte, 12 na Região Sul, 10 na Centro-Oeste, 8 no Nordeste e 5 no Sudeste. Cada escola receberá R$ 1 milhão do governo federal, totalizando R$ 54 milhões em recursos para militarizar o ensino público.

A adesão ao programa foi voluntária. Logo no lançamento, o governo abriu prazo para as unidades da Federação manifestarem interesse — 15 estados e o Distrito Federal o fizeram. Depois, foi a vez dos municípios — mais de 600 cidades pediram para participar. Segundo o secretário de educação básica do MEC, Jânio Carlos Macedo, foram priorizadas escolas em capitais e regiões metropolitanas para maior acesso. Foram eliminados municípios que não encaminharam a adesão assinada pelo prefeito e com número baixo ou sem militares da reserva residindo na cidade.

Os envolvidos com o programa das escolas cívico-militares passarão por uma capacitação promovida pelo MEC. Pontos focais das secretarias de Educação estaduais e municipais, diretores, professores, militares e profissionais da educação participarão de formação presencial e/ou a distância. Entre os temas abordados estão o PPP (Projeto Político Pedagógico), as normas de conduta, avaliação e supervisão escolar e apresentação das regras de funcionamento das escolas e atribuições de cada profissional.

No Rio Grande do norte uma escola de Natal localizada no bairro de Felipe camarão foi a contemplada.