Assessora revelou à polícia briga entre Marielle e Carlos Bolsonaro

30 de outubro de 2019 | _
Fernanda Chaves, a assessora que acompanhava Marielle Franco (PSOL) na noite do assassinato da vereadora e sobreviveu, contou à polícia que a parlamentar teve uma briga com Carlos Bolsonaro em 2017. Segundo Fernanda, Carlos, passando pelo corredor, ouviu uma conversa de um assessor de Marielle com uma pesquisadora mexicana. Ao apontar para o gabinete de Carlos, o assessor se referiu a ele como “fascista”. Carlos estava no telefone, mas ouviu e, aos berros, chamou o assessor de “merdão”.

O depoimento de Fernanda foi prestado em março do ano passado, logo após o assassinato. Carlos e Merielle eram vizinhos de gabinete no nono andar da Câmara Municipal. Conforme o relato de Fernanda, o vereador do PSC – que é filho do presidente Jair Bolsonaro – ficou descontrolado com a situação. “Repete, seu merda. Repete. Você é um merdão, diz na minha cara”, gritou Carlos com o funcionário.