Ministro do STF Gilmar Mendes barra investigação de Glenn por mensagens da Vaza Jato

8 de agosto de 2019 | _
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, concedeu na noite de quarta (7), uma liminar (decisão provisória) para impedir que o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, responsável pelo site The Intercept Brasil, seja investigado ou responsabilizado por receber, obter ou publicar informações.

O pedido de liminar havia sido feito pelo partido Rede Sustentabilidade. Desde junho, o Intercept tem publicado mensagens trocadas por autoridades da República, como o ministro Sergio Moro (Justiça) e Deltan Dallagnol (coordenador da força-tarefa da Lava Jato).

Moro e procuradores da Lava Jato contestam a autenticidade das mensagens, mas não indicam os trechos que seriam verdadeiros e os que seriam falsos.

Não deve está em discussão se a forma com que as mensagens foram divulgas são legais ou não. Deve-se está em discussão o malabarismo de Moro e os procurados que agiram fora da lei para incriminar quem quer que seja.