Greve Geral: em natal e no resto do país o recado contra reforma foi dado pelo povo

15 de junho de 2019 | _
Movimento que protestou nesta sexta (14) a Reforma da Previdência, dentre outras ações do governo Jair Bolsonaro, deu contundente resposta à agenda regressiva do governo. Essa é a mais sintética avaliação da paralisação geral que, segundo os dirigentes das centrais sindicais, teve a adesão estimada de 45 milhões de trabalhadores em todo país. Com mais esse êxito no ciclo de protestos iniciado assim que a “reforma” da Previdência Social foi anunciada, ainda no governo Temer, e que se intensificou no governo Bolsonaro com duas grandes manifestações contra os cortes neoliberais na Educação, o Brasil atinge um novo patamar de mobilização popular.

Os efeitos desse ciclo já podem ser vistos em decisões do Congresso Nacional, como as mudanças do relator na proposta da “reforma” da Previdência Social na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, Samuel Moreira (PSDB-SP). Claro, as mudanças foram tópicas — a mais significativa foi a retirada da proposta de capitalização —, mas não deixam se ser uma sinalização importante de que a manifestação popular pode dar resultados muito além do que esse.

O êxito da greve tem como saldo também uma melhor compreensão pelo povo do que representa a agenda ultraliberal e neocolonial do governo Bolsonaro.

Mobilizações dessa magnitude abrem amplo diálogo com a sociedade, permitindo que outros pontos de vista circulem até mesmo nos grandes veículos da mídia.

Em Natal, como mostra a ilustração, o movimento alcançou o objetivo. Considerado pelos lideres do movimento, total sucesso.