Bolsonaro mostra cicatriz de facada e de bolsa de colostomia; em programa no SBT ao apresentador Silvio Santos

3 de maio de 2019 | _


Durante a entrevista nesta quinta (2) ao jornal SBT Brasil, do SBT, o presidente Jair Bolsonaro mostrou a cicatriz que ficou em sua barriga de facada que recebeu no dia 6 de setembro de 2018, em ato de campanha eleitoral em Juiz de Fora (MG).

O presidente também mostrou as marcas que ficaram das 3 cirurgias pelas quais passou após a facada. Bolsonaro levantou a camisa, apontou para as cicatrizes e disse: “Aqui é a facada, aqui é a bolsa de colostomia e aqui é a cirurgia”.

“Alguns falam que foi fake”, afirmou, após dizer que se sente bem de saúde hoje.

Eis as imagens das cicatrizes do presidente:

A 1ª cirurgia de Bolsonaro foi realizada no dia em que sofreu o atentado, quando foi colocada a bolsa de colostomia. A 2ª, em 12 de setembro, foi de emergência após tomografia identificar “presença de aderência obstruindo o intestino delgado”.

Já a última cirurgia, realizada em 28 de janeiro, foi para retirada da bolsa de colostomia.

O autor do golpe chama-se Adelio Bispo de Oliveira, tem 40 anos e é da cidade mineira de Montes Claros. Adelio foi preso e confessou o crime. Ele foi enquadrado na Lei de Segurança Nacional e responde por “atentado pessoal por inconformismo político” com base no artigo 20 da lei.

Laudo pericial feito pela PF (Polícia Federal), a pedido da Justiça, indicou que Adélio sofre de uma doença mental chamada transtorno delirante permanente paranoide e não pode ser punido criminalmente pelo golpe.

Na entrevista ao SBT Brasil, Bolsonaro afirmou que existe interesse dos líderes partidários em aprovar a reforma da Previdência “o mais rápido possível”.

“Eu tenho conversado com o Rodrigo Maia, uma pessoa excepcional, e o que ele tem transmitido para mim é que há interesse por parte dos líderes, que decidem os votos lá dentro, em aprovar o mais rápido possível a reforma da Previdência”, disse.

Sobre a crise na Venezuela, Bolsonaro voltou a afirmar que a possibilidade do Brasil em fazer intervenção militar é zero. “O lugar porto seguro dele seria Cuba agora. Mas ele não manda nem nele”, afirmou.

Sobre o corte de 30% do orçamento das universidades federais, Bolsonaro disse que o valor será investido na educação básica.

“A gente não vai cortar recurso por cortar. A ideia é investir na educação básica. Ouso dizer até que um número considerável não sabe sequer a tabuada. Sete vezes 8? Não vai sabe responder. Então pretendemos investir na base. Não adianta ter um excelente telhado na casa se as paredes estão podres. É o que acontece atualmente”, disse.

O presidente também gravou nesta 5ª feira (2.mai.2019) entrevista ao programa de Silvio Santos, no SBT.  A participação será transmitida no domingo (5.mai.2019).

Imagens da gravação mostram o presidente, o secretário de Comunicação da Presidência da República, Fábio Wajngarten, ao lado do apresentador.