Heleno diz que Guaidó não tem apoio do comando militar da Venezuela

30 de abril de 2019 | _
Mais cedo, Guaidó convocou as Forças Armadas e a população para apoiar a fase final da chamada Operação Liberdade, com o objetivo de retirar Nicolás Maduro do poder.

“No início da manhã, quando se caracterizou uma antecipação do movimento que estava previsto para amanhã e acabou acontecendo hoje, não se percebeu movimentação militar. Mas foi anunciado pelo Guaidó 1 maciço apoio das Forcas Armadas. Logo depois isso foi colocado na dimensão correta, ou seja, havia 1 certo apoio das Forças Armadas, mas isso não chegava a atingir os altos escalões, ficava ali no escalão mais baixo“, disse o chefe do GSI.

A declaração foi dada após reunião convocada pelo presidente Jair Bolsonaro para discutir a crise na Venezuela. Além de Heleno e o capitão reformado do Exército, participaram o vice-presidente Hamilton Mourão e os ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores).

O general disse ser “natural que Guaidó fizesse autopropaganda”. Declarou ser válida a ação “para engrossar a manifestação”.

Heleno classificou como fraco o apoio militar a Guaidó. No entanto, afirmou que ato desta terça. foi o “mais volumoso e mais expressivo”.