Polícia prende 2 bandidos acusados da execução de Marielle; caso aguarda mais envolvidos

13 de março de 2019 | _

Marginais fazem a farra num Brasil desordenado, dominado pelo crime. Crimes cometidos pelos criminosos que vão dos dominadores das armas e das drogas, aos criminosos que dominam as leis e, pelos que as fazem, assim como, aqueles que as aplicam. Bandidos são bandidos, não importa se  a mão sustentam uma Parker, ou se a mão sustentam uma AR15. Bandido é bandido! se a AR15 mata na favela a Parker mata na fila do SUS.

Depois de quase 1 ano da execução da vereadora Marielle Franco no Rio de Janeiro, a polícia chega cada dia mais perto dos responsáveis pelo assassinato de Marielle. Nesta terça (12) polícias prenderam o PM reformado, Ronie Lessa, e o ex-policial, Élcio Vieira de Queiroz.

Lessa é acusado de ser o autor dos disparos que mataram Marielle e Anderson, e Queiroz, o motorista do carro utilizado no crime. A acusação do MP aos executores é por duplo homicídio qualificado e por tentativa de homicídio da assessora parlamentar Fernanda Chaves, que também estava no carro com a vereadora e o motorista.

Pode-se dizer que é fácil demais matar alguém no Brasil.

A vida vale quase nada em algumas localidades deste país, com pessoas sendo trucidadas sem mais nem menos. E que homicídios são moedas de troca nas relações entre os grupos e organizações do submundo, da criminalidade generalizada.

Segundo a polícia as investigações devem prosseguir até chegar aos mandantes.

Élcio Vieira de Queiroz, acusado pela promotora Simone Sibílio aparece na foto tirada em 2011 ao lado do presidente Jair Bolsonaro de que é vizinho, moraram no mesmo condomínio na Barra da Tijuca.