PF e CGU deflagram "Operação Tiro" que apura desvio e lavagem de dinheiro em Touros

28 de março de 2019 | _
47 agentes da Polícia Federal cumprem mandados de prisão e busca e apreensão em Natal e Parnamirim. Operação Tiro apura desvio de recursos públicos, dispensa indevida de licitação e lavagem de dinheiro, no município de Touros, em 2016.

A Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) cumprem mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão em Natal e Parnamirim nesta quinta (28). A ação faz parte da Operação Tiro que apura desvio de recursos públicos, dispensa indevida de licitação e lavagem de dinheiro, no município de Touros, em 2016.

De acordo com a PF, há três anos a Prefeitura de Touros recebeu verba de emenda parlamentar no valor aproximado de R$ 270 mil destinada à aquisição de medicamentos. Em seguida, sem prévia licitação, a Prefeitura celebrou contrato com a empresa investigada. No entanto, apesar de efetuado o pagamento pelos medicamentos, segundo a PF, não há registros da efetiva entrega dos produtos.

Afastado o sigilo bancário da empresa sob suspeita, as investigações, tomando por base a análise de dados, apontaram que no dia seguinte ao crédito do valor da emenda parlamentar, a prefeitura repassou à empresa investigada cerca de R$ 195 mil e, dias depois, novos repasses ocorreram em favor da mesma empresa, em valores que somados alcançaram mais R$ 61 mil. De acordo com a Polícia Federal, o rastreamento das operações bancárias tornou possível identificar um dos beneficiários da verba pública desviada.

Ainda segundo informações da PF, as diligências realizadas no dia de hoje tem por finalidade reunir provas dos delitos sob investigação, identificar todos os participantes do esquema criminoso e apontar os beneficiários dos valores desviados. Quarenta policiais federais e 7 servidores da Controladoria-Geral da União participam da operação.

do G1