Bolsonaro confunde tempestade com chuva de verão

28 de março de 2019 | _
O presidente Jair Bolsonaro realmente é um homem de muita sorte. Atual presidente da republica, Bolsonaro passou 28 anos exercendo mandato de deputado federal, mas mostra que não aprendeu nadica de nada sobre articulação política. A sorte é abundante, pois sem jogo de cintura, o capitão conseguiu sobreviver ao congresso, como 1 gato conseguiu sobreviver a lâmina afiada de Adélio Bispo. Até aqui tem sobrevivido o capitão Bolsonaro, que terá pela frente ao contrário do que declarou em relação a crise com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quando atribuiu a crise como uma "chuva de verão".

Engana-se o presidente, pois a crise é uma verdadeira tempestade.

“Página virada, 1 abraço para o Rodrigo Maia , vamos em frente, acontece, é uma chuva de verão. Outros problemas acontecerão com certeza, mas na minha cabeça e na dele: Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”, disse o presidente.

A declaração foi dada durante a comemoração ao 211º aniversário da Justiça Militar da União, no Clube do Exército, em Brasília.

Maia foi convidado para o evento, mas não participou.

Ao comentar sobre a reforma da Previdência, Bolsonaro disse que “não existe base aliada garantida” e que os deputados vão votar “de acordo com o entendimento deles”.

O político do PSL disse que são naturais as dificuldades em se obter apoio dos congressistas para a reforma. “Fui deputado 28 anos, metade são novos, jovens, vão aprendendo o trejeito político com o tempo”. Também disse dispor de pouco tempo para atender as demandas de diálogo de deputados e senadores: “gostaria de atender mais políticos no Planalto, mas só tenho 24 horas, preciso de 5, 6 horas para dormir”.

Bolsonaro também confirmou que vai viajar o Brasil para ficar em contato mais próximo com os representantes estaduais. Disse que já tem viagens confirmadas ao Pará, Amazonas e Paraíba. Não especificou datas.