Clã Bolsonaro planeja criar a UDN, partido que conspirou contra governos passados

18 de fevereiro de 2019 | _
Depois de turbinar o PSL com muitos votos e uma série de escândalos, o clã Bolsonaro já planeja deixar a legenda. Conforme reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, publicada neste domingo (17), os filhos do presidente Jair Bolsonaro (PSL) negociam migrar para a UDN (União Democrática Nacional). O novo partido, em fase final de criação, é a reedição da antiga e golpista UDN (União Democrática Nacional), que conspirou contra os presidentes Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e João Goulart.

Um dos estopins da articulação é o agravamento da crise do PSL, que está sob suspeita de desviar verba pública por meio de candidaturas “laranjas” nas eleições 2018. Conforme três fontes ouvidas pelo Estadão, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) se reuniu na semana passada em Brasília com dirigentes da nova sigla para tratar do assunto. Ninguém mais do que ele tem urgência em levar adiante o projeto.

Eleito com 1,8 milhão de votos, Eduardo teria o apoio de seu irmão, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ). Com esse movimento, a família buscaria preservar seu capital eleitoral diante do desgaste do partido. As suspeitas atingiram o presidente da legenda, deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE).