Cavalo de Troia desfaçado de ajuda comunitária à Venezuela

23 de fevereiro de 2019 | _

A divulgação, quase em tempo real, dos preparativos para uma intervenção comandada pelos Estados Unidos contra o estado soberano da Venezuela ameaça a paz em todo o continente sul-americano. A ação intervencionista anuncia-se travestida de ajuda humanitária, supostamente para amenizar as dificuldades vividas pelo povo venezuelano.

As cargas de trigo e remédios, na verdade, são invólucros de mais uma guerra por petróleo capitaneada por Donald Trump. Tanto é assim que os Estados Unidos deslocaram à região navios de guerra e soldados.

Essa marcha de uma máquina de guerra em direção à Venezuela agride, viola o direito internacional e trata-se de um novo e mais agressivo capítulo da ofensiva do imperialismo estadunidense.

A Venezuela, alvo da vez, tem as maiores reservas de petróleo bruto, com 300 milhões de barris, superando a Arábia Saudita (266 milhões de barris), o Irã (158 milhões de barris) e o Iraque (142 milhões de barris). Ou seja, uma ação militar contra a Venezuela alimentaria a lucratividade do complexo industrial-militar e permitiria aos norte-americanos acesso à maior reserva de petróleo do mundo.

Lamentavelmente, Brasil, sob o comando de Jair Bolsonaro, se curvou às ordens da Casa Branca e atrelou-se a essa provocação de guerra fantasiada de ajuda humanitária.