Capitalização da previdência beneficiará bancos; aposentadoria só aos 65 anos

20 de fevereiro de 2019 | _
Principal bandeira da equipe econômica, a proposta de reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro foi apresentada nesta quarta (20).

A economia prevista é de R$ 1,072 trilhão em 10 anos. Somada à mudança na regra dos militares, que deverá ser encaminhada em projeto de lei a parte, a economia chegará a R$ 1,165 trilhão.

A proposta é considerada prioritária pelo governo para reequilibrar as contas públicas no longo prazo. Em 2019, o governo central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social) pode registrar deficit de até R$ 139 bilhões, o 6º ano consecutivo de resultado primário negativo. Uma das promessas de Guedes é zerar o rombo já neste ano.

Na visão deste editor, a proposta defendida pelo governo, entregue ao Congresso, beneficia ao sistema financeiro (bancos) com a capitalização e prejudica trabalhadores.

O texto da reforma Bolsonariana, Guedes e Marinho, tem 1 modelo que implica a cada trabalhador financiar a própria aposentadoria por depósitos em uma conta individual, acabando assim com a repartição, onde os trabalhadores da ativa bancam os benefícios de quem já se aposentou.