Rogério Marinho quer que trabalhador trabalhe até a morte enquanto que os donos das dividas aumentem suas riquezas ainda mais

2 de janeiro de 2019 | _
O novo secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou nesta quarta (2), que o governo editará uma medida provisória (MP) ainda nesta semana para coibir fraudes no sistema previdenciário. Deputado derrotado nas urnas pelo PSDB-RN, Marinho assumiu a secretaria nesta quarta e disse que objetivo da MP é combater, por exemplo, “concessões indevidas” de benefícios.

Na verdade o plano é simples e notório. Com o uso de Medida Provisória, o ex-deputado Rogério Marinho, quer já colocar em funcionamento parte da Reforma da Previdência para fazer cada brasileiro trabalhar até morrer e aumentar o enriquecimento dos donos da dívida que ficarão com uma fatia ainda maior das riquezas nacionais.

A reforma da Previdência é a principal “missão” do governo, como disseram explicitamente analistas e editoriais da burguesia nestes últimos dias.

Numerosas e contraditórias declarações foram dadas à imprensa no dia de hoje. Trata-se de tática consciente de confundir o trabalhador. Bolsonaro, Guedes e Marinho pretendem decretar uma parte da odiosa Reforma da Previdência por via de Medida Provisória e outra parte submeter ao Congresso por meio de PEC.

Medidas provisórias têm força de lei assim que são publicadas no “Diário Oficial da União”. Para se tornar uma lei em definitivo, porém, a MP precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional em até 120 dias e, depois, sancionada pelo presidente da República.

De acordo com Rogério Marinho, a MP não tem relação com a reforma da Previdência Social.

“Elas [medidas] significam ações para restaurar a creibilidade na previdência, com racionalização da máquina pública, combate aos desperdícios, eficiência e combate a fraudes”, acrescentou.

E o boi dorme?