Justiça nega direito de Lula se despedir do irmão Vavá

30 de janeiro de 2019 | _
Lei de Execução Penal brasileira (7210/1984):

Art. 120. Os condenados que cumprem pena em regime fechado ou semi-aberto e os presos provisórios poderão obter permissão para sair do estabelecimento, mediante escolta, quando ocorrer um dos seguintes fatos:
I - falecimento ou doença grave do cônjuge, companheira, ascendente, descendente ou irmão;
II - necessidade de tratamento médico (parágrafo único do artigo 14).
Parágrafo único. A permissão de saída será concedida pelo diretor do estabelecimento onde se encontra o preso.

Como é de costume no Brasil, a lei acima serve para uns e outros não. Continua a servir para pobres, pretos e os escolhidos à perseguição.

O ex-presidente Lula tem sido vítima e exemplo disso. Mais uma vez tem pedido nega na justiça, e agora para se despedir do irmão Vavá, falecido no dia de ontem em São Paulo.

Advogados do ex-presidente tentaram de todas as formas conseguir sua liberação, negado na justiça. Negaram 1 direito a Lula previsto em Lei de Execução Penal de ir ao enterro de seu irmão.

Na contramão de totós os impedimentos, eis que surge o vice-presidente Hamilton Mourão defende o direito de Lula ir ao enterro do irmão. Mourão disse não ver problema em uma autorização da Justiça. O presidente interino diz que se trata de uma 'questão humanitária'. Lembrou também que perdeu um irmão no passado e que não considera um problema uma eventual autorização do Poder Judiciário para que Lula participe da cerimônia.