Batina, crime e sexo: Igreja condenada a pagar indenizações de R$ 12 mi por abuso de padres

21 de janeiro de 2019 | _
Matéria do Fantástico desde domingo mostra padres da arquidiocese da Paraíba envolvidos em crimes de abuso sexuais contra crianças. A arquidiocese foi condenada pela Justiça pagar uma indenização de R$ 12 milhões pelos crimes.

2º a reportagem até o arcebispo emérito dom Aldo Di Cillo Pagotto é 1 dos envolvidos. Os crimes vieram a público após o vazamento de uma carta-denúncia escrita por uma fiel que narrava os abusos sexuais em 2014.

Em entrevista veiculada no Fantástico ontem, domingo (20), o procurador do Ministério Público do Trabalho na Paraíba, Eduardo Varandas, relatou que um grupo de sacerdotes da igreja católica no estado pagava por sexo a flanelinhas, coroinhas e seminaristas. O procurador informou que o crime de exploração sexual fica definido a partir de uma ausência de vontade livre para praticar o ato.

1 dos flanelinhas foi morto. A polícia ainda não sabe se tem envolvimento com o caso.

Em vários depoimentos concedidos à Justiça apareceram os nomes de três padres da arquidiocese da Paraíba: Jaelson Alves de Andrade, Ednaldo Araújo dos Santos e Severino Melo. As vítimas relataram que em muitos casos, o sexo era uma troca de favores, como “passando por esse processo você pode chegar a ser padre”, foi o que relatou um ex-seminarista que foi vítima do crime.

De acordo com o Ministério Público do Trabalho, a indenização de R$ 12 milhões será revertida para o uso social no fundo da infância, da adolescência e instituições congêneres que atuam na recuperação psicóloga, na reinserção social.