35% dos ministros de Bolsonaro são militares

3 de dezembro de 2018 | _
O presidente eleito, Jair Bolsonaro, tem cumprido a promessa de campanha de nomear militares para altos escalões de seu futuro governo. Até agora, 7 dos 20 ministros anunciados ocupam ou já ocuparam algum posto nas Forças Armadas. Isso corresponde a 35% do que já é conhecido de sua Esplanada.

Até esta segunda (3), o presidente eleito havia indicado para pastas 5 nomes do Exército, 1 da Aeronáutica e 1 da Marinha. Bolsonaro chegou ao posto de capitão do Exército e tem maior familiaridade com a Força.
São ao todo 3 generais: 2 de Exército e 1 de divisão do Exército. Todos na reserva. Os generais de Exército têm 4 estrelas, portanto, uma patente superior ao general de divisão, com 3 estrelas. Há ainda 1 capitão na reserva, posto considerado intermediário. São os nomes do Exército:

    general de Exército Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional);
    general de Exército Fernando Azevedo e Silva (Defesa);
    general de divisão Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo);
    capitão Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura);
    capitão Wagner Rosário (Controladoria Geral da União).

O vice-presidente eleito na chapa de Bolsonaro também é 1 militar. General Hamilton Mourão é general do Exército na reserva.

Bolsonaro ainda tem nomeado militares para cargos da equipe de transição. Dos 41 integrantes remunerados ou voluntários do time, 8 fazem ou fizeram parte da carreira militar.