Bolsonaro tem 3 dias para explicar ‘inconsistências’ em contas de campanha

13 de novembro de 2018 | _
Precisa prestar informações ao TSE; são 23 supostas inconsistências, diplomação depende de regularidade a cerimônia será no dia 10 de dezembro


O ministro Luís Roberto Barroso, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), concedeu nesta terça (13) o prazo de 3 dias para a defesa do presidente eleito Jair Bolsonaro apresentar manifestação sobre as inconsistências encontradas na prestação de contas da campanha.

O PSL entregou na última (sexta, 9) a documentação para a Corte e a papelada teve prioridade no julgamento do plenário do Tribunal. Segundo o partido, na campanha foram arrecadados R$ 4.377.640,36 e gastos R$ 2.812.442,38.

Ao analisar preliminarmente as contas, no entanto, o TSE encontrou 23 inconsistências sobre despesas com conteúdo digital, serviços contábeis, recebimento de R$ 5,2 mil de fonte vedada, entre outros.

Sem a regularidade da prestação de contas, Bolsonaro não pode ser diplomado. O TSE confirmou a diplomação do presidente eleito para o dia 10 de dezembro, às 11h.

A cerimônia será realizada 9 dias antes do prazo final definido no calendário eleitoral, em 1 acordo para que ele possa fazer a cirurgia para retirada da colostomia no dia 12 de dezembro.

(com informações da Agência Brasil)