Bolsonaro faz criticas a questão de prova do Enem: não mede conhecimento nenhum

5 de novembro de 2018 | _
O presidente eleito, Jair Bolsonaro, criticou nesta segunda (5) uma questão da prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) que tratava do “dialeto secreto” utilizado por gays e travestis. Afirmou também que sua gestão “não tratará de assuntos dessa forma”.

“Uma questão de prova que entra na dialética, na linguagem secreta de travesti, não tem nada a ver, não mede conhecimento nenhum. A não ser obrigar para que no futuro a garotada se interesse mais por esse assunto. Temos que fazer com que o Enem cobre conhecimentos úteis”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro negou que pretende acabar com o exame, mas disse que seu governo não vai “ficar divagando sobre questões menores”.

“Ninguém quer acabar com o Enem, mas tem que cobrar ali o que realmente tem a ver com a história e cultura do Brasil, não com uma questão específica LGBT. Parece que há uma supervalorização de quem nasceu assim”, afirmou.

As declarações do presidente eleito foram feitas em entrevista a José Luiz Datena, na Band, nesta noite. Foi a mais longa entrevista de Bolsonaro concedida desde quando foi eleito. Foram 1h46min53s de entrevista.

Eis a questão da prova: