Rogério Marinho de um lado diz que Fátima vai afunda Estado de outro Ezequiel afirma que votar em Fátima é pensar grande

19 de outubro de 2018 | _
O segundo turno é um plebiscito: ou se vota em quem acredita, ou pela rejeição a um projeto. O pior pecado é a omissão. É evidente que nosso voto como cidadão e nossa ação política são a favor de Carlos Eduardo, para governador, e Bolsonaro, para presidente da República.

O PT é o responsável pela brutal crise econômica, moral e política que o Brasil ainda atravessa. A apropriação do Estado como patrimônio pessoal de um partido foi o método detestável que apequenou as instituições e institucionalizou a corrupção em nome de um projeto de perpetuação no poder e de idolatria a um presidiário.

Acima, trecho de nota do deputado derrotado Rogério Marinho (PSDB) que adere a candidatura do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo, onde ele e as oligarquias que também tiveram seus nomes excluídos do plano político, leia-se (Garibaldi, Agripino e Rosado) se escoram em busca de sombra.

Marinho que perdeu seu mandato por ter votado contra os aposentados e trabalhadores, entra juntos com os caciques potiguares no ostracismo.

Neste 2º turno Marinho ver seu partido - PSDB maior rival político do PT em planos nacional e local, declarar apoio a senadora, candidata líder em todas as pesquisas  Fátima Bezerra.

"O Rio Grande do Norte precisa unir as bandeiras. E bandeiras de todas as cores. Chega o momento de união de forças, definição e decisão. É preciso empenho das lideranças deste Estado. O projeto é o Rio Grande do Norte unido para superar as dificuldades que necessitam de soluções urgentes", anunciou Ezequiel Ferreira, enfatizando que chega para arregaçar as mangas e assegurar a vitória de Fátima governadora do Estado. 

Rogério soltou os rojões contra Fátima de 1 lado, do outro o presidente da ALRN e também do PSDB, deputado Ezequiel Ferreira reuniu em ato pró Fátima lideranças políticas de todo Estado e 7 deputados que declararam apoio a candidata.