A dura realidade do prefeito de Macau e o que pode acontecer com os votos de Fátima no 2º turno

14 de outubro de 2018 | _
Em baixa total desde que assumiu o comando da prefeitura de Macau, o prefeito Tulio Lemos, teve a oportunidade de medir seu "poder de fogo", (potencial eleitoral) e pôde constatar que não está nem um "tinquim" bom, pelo contrário, está de mal a pior, e sem expectativas de melhoras.

Seus candidatos tiveram o pior desempenho na história de Macau, sendo estes candidato do prefeito na cidade. Seus deputados não conseguiram atingir por exemplo, 1 nível de candidato de vereador. O governador Robinson teve a vergonhosa votação abaixo dos mil votos no município.

A deputada Márcia Maia (PSDB), protagonista de violenta estrutura derramada na cidade, alcançou apenas 1371 sufrágios, tendo além do prefeito e uma "reca"  de CCs e vereadores a reboque.

Não foi diferente com o federal Fábio Faria (PSD) que obteve apenas 702 votos, 1 verdadeiro vexame tendo em vista que o mesmo também é filho do governador e detentor de gigantesca estrutura financeira.

Os números falam por si só, e demonstra o reflexo da desastrosa administração Tulio Lemos, do administrativo as urnas.

A candidata do PT, senadora Fátima Bezerra obteve 8 mil votos a mais que Robinson, candidato do prefeito em Macau no 1º turno, já para o 2º turno, Tulio declara apoio a senadora e já surge comentários que ele derrotará ela no município reduzindo sua votação as traças.

Carlos obteve 3.727 votos e com a adesão do prefeito a candidatura de Fátima, terá grandes chances de vencer a senadora no município.