Programa do PT na TV não mostra Lula nem Haddad como candidato

1 de setembro de 2018 | _
Após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) barrar a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, nem o ex-presidente nem seu vice, Fernando Haddad, apareceram oficialmente como candidatos à Presidência no programa eleitoral do PT na televisão.

Neste sábado (1º), começou a propaganda eleitoral obrigatória dos postulantes ao Planalto no rádio e na televisão. Assista às íntegras dos vídeos exibidos na TV.

O programa do PT explora o discurso de injustiça contra o ex-presidente e reafirma que o partido continuará lutando por sua candidatura. Em nenhum momento, entretanto, apresenta Lula como candidato.

No início do vídeo, em 1 fundo azul, é exibida mensagem que diz:

“A ONU já decidiu que Lula poderia ser candidato e ser eleito presidente do Brasil. Mesmo assim, a vontade do povo sofreu mais um duro golpe com a cassação da candidatura de Lula pelo TSE. A coligação ‘O povo feliz de novo’ entrará com todos os recursos para garantir o direito de Lula ser candidato. Não vão aprisionar a vontade do povo”.

O início do vídeo exibe imagens das manifestações de apoio a Lula em frente à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde o petista está preso desde abril. “Não podemos tirar do povo o direito que ele tem hoje de escolher o seu presidente”, diz Haddad ao fundo.

Mais à frente, o próprio ex-presidente aparece e defende sua inocência: “Eu estou em uma situação de inocente que está sendo julgado para evitar que esse inocente volte a fazer o melhor governo do Brasil”.

Ao fim do vídeo, Haddad deixa sua mensagem para Lula e para o país: “Faço aqui um juramento de lealdade a Lula. Nós não vamos descansar, vamos trazer o Brasil de Lula de volta e libertar os brasileiros de toda essa injustiça”.

Assista à íntegra:


O TSE

Após sessão de 8 horas, o TSE decidiu no início da madrugada deste sábado que o ex-presidente Lula não poderá ser candidato neste ano. O argumento foi de que a candidatura fere a Lei da Ficha Limpa, que impede candidaturas de quem já foi condenado em duas Instâncias da Justiça.

Lula poderá aparecer na campanha de Haddad como apoiador, mas não candidato.