Haddad recebe orientação de dentro da prisão para campanha

21 de setembro de 2018 | _
Ex-presidente Fernando Henrique e Fernando Haddad
O ex-presidente Lula é o marqueteiro do candidato Haddad. Sem Lula Haddad estaria na lanterna entre os demais que estão patinando nos 8 pontos percentuais de intenção de votos. Lula controla a campanha de Haddad de dentro da prisão, semelhantemente como acontece no crime organizado, onde lideres de facções comando as ações criminosas de dentro dos presídios. 

Isso tudo parece até filme, mais é real e os militantes divulgam com prazer, como se estivessem em orgasmo, uma vergonha tamanha. Assim como o lançamento da candidatura do candidato a presidente, feito do lado de fora da prisão onde está o ex-presidente. Num país sério não se teria essa aberração.

Se Lula, é ou não, envolvido com os crimes, os quais o levaram a prisão, não importa, o fato é que Haddad está sendo um marionete (candidato laranja) recebendo instruções de dentro da prisão.

O ex-ministro da Casa Civil Aloizio Mercadante falou sobre orientações do ex-presidente Luiz para a campanha presidencial de Fernando Haddad.

“Ele [Lula] quer que Haddad convoque caminhadas pela paz. Nós temos que sair na rua contra a violência e mostrando o respeito à diversidade. O caminho da paz é Haddad presidente do Brasil”, disse Mercadante.

Ele deu a declaração depois de visitar Lula na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde o ex-presidente está preso. O cientista político norte-americano Noam Chomsky também encontrou Lula na prisão.

Sobre a orientações de Lula para Haddad, Mercadante também disse que é preciso que os militantes do PT participem de atos de campanha nas ruas. “Ele [Lula] também pediu que a militância não fique apenas esperando as pesquisas, que vá amassar barro na rua e trabalhe. Porque o futuro do Brasil depende desses dias restantes de campanha.”

De acordo com relato de Mercandante, Lula tem “convicção que Haddad ganha a eleição”.

Sobre o encontro com o ex-presidente, Chomsky relatou uma conversa que teve com Lula há 20 anos. “Quando nos encontramos há 20 anos, ele disse que nunca pensou que podia ser eleito. Ele foi e fez coisas maravilhosas. É uma indicação do que pode acontecer no futuro.”