Dr. Richard Harris 1 herói no resgata dos 12 tailandeses e do treinador

10 de julho de 2018 | _
Richard Harris é o médico australiano que se transformou no grande trunfo para o sucesso do resgate dos 12  tailandeses e do treinador de futebol que estão presos numa caverna em Chiang Rai, Tailândia, desde o dia 23 de junho, informa o The Sydney Morning Herald.

O profissional é um anestesista de Adelaide que foi requisitado especificamente pelos especialistas internacionais em mergulho presentes nesta difícil missão

Foi ele que, no sábado, levou a cabo o perigoso mergulho até aos jovens e ao treinador, que possibilitou o início das operações no domingo.

Richard Harris deu o aval ao estado de saúde e psíquico dos rapazes, cujas idades variam entre os 11 e os 16 anos

Segundo o The Adelaide Advertiser, o  médico estaria de férias quando foi contatado para participar nas operações de resgate e aceitou imediatamente.

Retirou o corpo de uma amiga de uma gruta

Harris trabalhou seis anos para a MedStar, um serviço de apoio médico, e já esteve envolvido em operações de resgate.

O jornal de Adelaide recorda o episódio em que o médico ajudou a retirar o corpo da amiga Agnes Milowka, 29 anos, arqueóloga marinha, sem vida de uma gruta.

Em 2011, o anestesista disse que Milowka não conseguiu sair da caverna em Millicent, na Austrália, onde morreu.

"Ela não conseguia ver nada e não conseguiu descobrir o caminho para sair da caverna acabando por ficar sem ar", disse ao Adelaide Advertiser.

De acordo com o site OzTek, o médico também é fotógrafo subaquático, tendo abraçado a tecnologia rebreather para explorar e fotografar cavernas na Austrália e no exterior.

"Harry tem um interesse ativo em segurança de mergulho e investigação de acidentes, especialmente em cavernas e mergulho técnico", lê-se no site.

 "Ele desempenha um papel fundamental no desenvolvimento de uma capacidade de resgate de cavernas e esgotos na Austrália".

Segundo o The Sydney Morning Herald , o médico faz mergulho há mais de 30 anos em grutas na Austrália e no exterior, fotografando as cavernas e cartografando perigos, a fim de ajudar a evitar acidentes como este.

Esteve envolvido em explorações de mergulho na China, na Ilha do Natal, na Nova Zelândia e na própria Austrália.

O seu interesse pelo mergulho, pela fotografia e até pelo vídeo levou-o a ter imagens e artigos publicados internacionalmente em publicações de mergulho.

 Também participou em vários documentários, num filme e em duas expedições da National Geographic.