FHC raposa ou tucano

2 de abril de 2018 | _
Presidente da República por dois mandatos, entre 1995 a 2003, FHC (foi ele que, por apego ao poder, propôs uma mudança na Constituição – aprovada de modo controverso - para permitir a reeleição do presidente da República), foi autor de algumas das grandes mazelas que afligem os brasileiros. Pioradas pelo governo golpista ultra-liberal de Michel Temer – ungido pelo golpe midiático, jurídico parlamentar de 2016, com apoio militante e inconteste de Fernando Henrique Cardoso.

FHC foi um sociólogo aplicado. Seguiu novo rumo desde que, candidato à presidência da República, em 1994, pediu para que se esquecesse o que escreveu. 

O ex-presidente, deveria, agora, suplicar ao país: esqueçam o que fiz!

Ele publicou um artigo na imprensa, neste domingo (1º), cujo título imita uma frase clássica de Friedrich Engels: Civilização ou barbárie (a frase famosa que diz: Socialismo ou barbárie, é do final do século XIX).

No artigo deste domingo, o cardeal tucano faz uma longa avaliação da violência política recente, cujo clímax foi o assassinato da vereadora Marielle Franco. E, convenientemente, nada diz sobre os ataques à caravana de Luis Inácio Lula da Silva.

Os assassinos de Marielle, diz ele, não são nem de direita nem de esquerda – são bandidos.