Fórum Mundial da Água acontecerá em Brasília e terá o desafio de tornar tema prioritário no país

12 de março de 2018 | _
Palco de grave crise hídrica desde janeiro de 2017, Brasília vai sediar o Fórum Mundial da Água.O evento é considerado o mais importante sobre recursos hídricos do mundo. Para o coordenador da 8ª edição do evento, Glauco Kimura, os maiores desafios na preservação das águas estão relacionados a “barreiras políticas diplomáticas”. Segundo ele, o tema ainda não é tido como prioridade no Brasil.

Entre os convidados estão cerca de 100 ministros de Estado, empresas, autoridades e especialistas em recursos hídricos. O Fórum começa neste domingo (18.mar.2018), com cerimônia no Itamaraty, e segue até o dia 23 de março. A organização espera receber 40 mil pessoas, sendo 10 mil inscritos. Os visitantes devem vir de 160 países diferentes.

Orçado em R$ 80 milhões (€ 20 milhões), 62% dos custos do evento são pagos com recursos públicos, o resto, 38%, vêm da iniciativa privada. De acordo com o coordenador, houve 1 corte de 30% no valor desta edição. Nas últimas edições, o evento teve 1 custo total de R$ 120 milhões (€ 30 milhões).

Eis a origem do recursos para realização do fórum:
  1. R$ 25 milhões da ANA (Agência Nacional de Águas);
  2. R$ 25 milhões da Adasa (Agência Reguladora das Águas do Distrito Federal);
  3. R$ 30 milhões da iniciativa privada.
VILA CIDADÃ

Nesta edição, o fórum terá 1 espaço aberto para ao público. O local chamado de “Vila Cidadã” tem a meta de gerar 1 “escambo de ideias” entre os participantes. Uma forma de democratizar o acesso ao público, onde 1 ingresso para 6 dias de solenidade chega a custar R$ 1.315.