Fiesp e a autotrollagem que faz consigo mesma

14 de março de 2018 | _
Curiosíssima essa predileção da Fiesp por animais de características infantis. Primeiro, pato e, agora, sapo. É muito revelador do ponto de vista discursivo. As expressões "pagar o pato" e "engolir sapo", embora não sejam infantis, são infantilizantes. Tudo leva a crer, tecnicamente falando, que o motor discursivo desses empresários é a infantilização generalizada como vetor de conquista da opinião pública.

Mas, enfim, rendem análise. O pato (amarelo) e o sapo (verde) significam a degradação definitiva das cores da bandeira, que nunca foram lá grandes coisas. Os olhos, tanto do pato quanto do sapo, são olhos "mortos", com um "x" que ilustram tão bem a morte das personagens de cartoon.

Há muito de Rede Globo nesses animais da Fiesp. Trata-se do cidadão que assistiu tanta TV que ficou com os olhos "vidrados" - e perdeu qualquer capacidade de discernimento. São eles, o pato e o sapo.

Gustavo Conde