Intervenção no Rio de Janeiro vai terminar em tragédia, diz o jurista Serrano

22 de fevereiro de 2018 | _

Para jurista, com mandados coletivos de busca e apreensão, cria-se "uma realidade, uma fraude" que faz lembrar a Idade Média. "É o regime jurídico da guerra externa trazida para o ambiente interno".

"Estão trazendo o caos para o Estado brasileiro de forma irresponsável. Não tem jeito dessa farsa não terminar em tragédia. E nem de perto vai resolver o problema da segurança pública.” A opinião é de Pedro Serrano, jurista e professor de Direito Constitucional na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), sobre os mandados de busca e apreensão coletivos anunciados pelo governo Temer após a decretação de intervenção no Rio de Janeiro.

Para Serrano, como instrumento jurídico, o mandado coletivo é restritivo e absolutamente inconstitucional.