A política invadiu o sambódromo e cala comentaristas da Globo que silenciam diante do cenário político na avenida

13 de fevereiro de 2018 | _




O desfile da escola de samba Paraíso do Tuiuti na primeira noite do sambódromo do Rio de Janeiro é de longe o de maior repercussão nas redes sociais, desde a madrugada de segunda (12).

O enredo se tratou de um ataque frontal ao governo do agora vampiro Michel Temer, e contra a nefasta reforma trabalhista (espelhada nas fantasias de "carteiras de trabalho", que Temer dispôs ao gosto da burguesia nacional e estrangeira, institucionalizando a precarização do trabalho na destruição dos já escassos direitos da CLT).

Temer é retratado no enredo como um vampiro com dinheiro ao redor do pescoço, verba pública que usou para comprar parlamentares para escapar das denúncias feitas por seus acordos com Joesley Batista da JBS.

Todo esse enredo fez os comentaristas da Globo engasgarem de constrangimento, sem saber o que fazer para narrar as críticas a um golpe institucional e a contrarreformas reacionárias que, através de seus meios digitais e impressos, incentiva dia a dia.

Um bloco figuraram manifestantes "verde e amarelo" manipulados pelas cordas da FIESP, da Confederação Nacional da Indústria e outras instituições que patrocinaram o golpe institucional.

Nas mídias os comentários são de que os comentaristas Alex Escobar, Fátima Bernardes e Milton Cunha não sabiam o que dizer e ficaram calados, esperando o desfile acabar. Patético.

O colunista de TV Mauricio Stycer comentou, em seu blog no UOL, que os narradores da emissora ficaram constrangidos. "Do camarote da Globo, onde narrava o desfile, Fátima Bernardes, Alex Escobar e Milton Cunha reagiram com comedimento ao surpreendente protesto, como se estivessem constrangidos", escreve.

Não à toa o desfile da Tuiutí esteve nos trending topics do Twitter, e assunto mais comentado do Carnaval.