Planalto suspende distribuição de verbas

16 de dezembro de 2017 | _
O presidente Michel Temer, dar um freio na distribuição de verbas e emendas ao parlamentares, e avisa: enquanto não for aprovada a reforma da Previdência, está suspensa a distribuição de verbas prevista para este final de ano e o início de 2018.

A explicação é técnica. Sem a mudança no sistema de aposentadorias, haverá um rombo no Orçamento do ano que vem. Da ordem de R$ 40 bilhões, segundo a área econômica do governo.

Mas, na verdade, o que se pretende é aproveitar uma necessidade quase fisiológica dos políticos: eles nutrem suas bases eleitorais  de cargos e verbas. Se o Executivo libera, os congressistas aprovam os projetos de interesse do governo. O governo dirá que não tem como atender ao fisiologismo se a reforma não for aprovada.

O rombo de R$ 40 bilhões no Orçamento obrigará o governo a contingenciar (suspender formalmente) parte dos gastos públicos para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Isso é só uma compra descara de votos, nada mais que isso.