"Operação Limpidos" prende assessores e integrantes de torcidas de Flamengo e Fluminense

11 de dezembro de 2017 | _
A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio (MP-RJ) realizam na manhã desta segunda (11) 2ª fase da "Operação Limpidus", que tem como alvo dirigentes de clubes do Rio, empresas de vendas de ingresso e líderes de torcida organizada. O objetivo é desmantelar um esquema de repasse de ingressos por parte dos quatro grandes clubes do Rio para organizadas — algumas banidas dos estádios —  e a revenda através de cambistas. São nove mandados de prisão a serem cumpridos e até o momento quatro pessoas foram presas.

Entre os presos de hoje estão o assessor de imprensa da presidência do Fluminense, Artur Mahmoud, Leandro Schilling, chefe da Imply — responsável pela confecção de ingressos —, Monique Patrício dos Santos Gomes, uma funcionária da empresa, e Alesson Galvão de Souza, presidente da Torcida Organizada Raça Rubro-Negra. Outros cinco mandados de prisão preventiva foram expedidos contra alvos da primeira etapa da operação que estavam presos temporariamente. 

Outro alvo da operação desta segunda-feira foi Edmilson José da Silva, chefe da segurança do clube Vasco da Gama. Ele não foi encontrado em sua residência no Recreio e é considerado foragido.