Nova base curricular é homologada e deve ser aplicada em até 2 anos

21 de dezembro de 2017 | _
O presidente Michel Temer e o ministro da Educação, Mendonça Filho, homologaram nesta 4ª feira (20.dez.2017) a nova base nacional comum curricular. O documento estabelece aquilo que todas escolas públicas e privadas, de ensino básico e fundamental, têm de ensinar aos alunos.

A adaptação à nova base curricular deverá ser feita por todas as escolas em 2018. A implementação será realizada em 2019 e 2020, limite para a adesão.

A BNCC foi discutida por 3 anos. O debate começou em 2014, durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff, com o Plano Nacional de Educação estipulando a base como uma das metas. O documento passou a ser elaborado em 2015. O CNE (Conselho Nacional de Educação) aprovou na 6ª (15.dez) o texto da base.

A base homologada é apenas para o ensino básico. A base para o ensino médio será apresentada pelo Ministério da Educação, segundo o ministro Mendonça Filho, no 1º trimestre de 2018. Depois, o CNE avaliará o texto.

Segundo o ministro da Educação, a base nacional comum curricular contempla o “respeito aos direitos humanos e pluralidade”. “Toda a concepção da base obedece princípios de pluralidade e respeita as diferenças”, afirmou.

O documento aprovado e homologado não contém orientações sobre “ideologia de gênero”. Os conselheiros também enfatizaram o ensino religioso nas escolas de educação infantil e fundamental.

“A base sintoniza a igualdade de oportunidade e equidade a partir da educação”, afirmou Mendonça.