Macau: Quem perde e quem ganha com as novas mudanças na base e na oposição

12 de dezembro de 2017 | _
Quais os motivos que um político (vereador) por exemplo, aderiria a um governo em desgraças? Quando este mesmo está em decadência, é de praxe da classe política "pular fora", abandonar o barco, se distanciar na verdade.

Mas há também aqueles casos estranhos em que um se aproxima enquanto a maioria se afasta. Talvez pelo fato de sobrar espaço ou ainda outros interesses.

No município de Macau por exemplo, o prefeito Tulio Lemos, que foi achincalhado por populares quando chegava à câmara no ultimo dia 7, para prestar esclarecimento sobre aonde está o dinheiro da prefeitura (não disse coisa por coisa), Tulio saiu do jeito que entrou - vaiado e sem detalhar o que tem feito com o dinheiro público. Foi apenas pra cumprir o chamamento e não sofre cassação.

No governo do filho de Afonso, em pouco mais de 11 meses, já há rompimentos de vereador oficial e de conveniência (aqueles ainda na surdina).

O blog É Isso Aí, anunciou ontem que nesta terça o vereador e presidente da câmara, Pintinho irá usar a tribuna para oficializar seu rompimento com o prefeito. Pintinho rompido significa que o médico Eduardo Lemos, seu líder político autorizou seu afastamento do governo.

Com o presidente e a vereadora Diana fora do governo, a base passa a contar com 6 vereadores oficialmente na base. São eles: Ceição, Carlinhos, Dantas, Dinarte, Lampião Marcos Cabral.

A oposição passará a contar com 6 vereadores, Dr. Kekel, Wild, Ítalo, Gia e a nova integrante do bloco, a vereadora Diana e o presidente Pintinho caso se confirme seu rompimento.

Já o vereador Oscar neste momento está mais pra lá (governo) que pra cá (oposição), não acostumou com a peia.

Mas, na cidade é dado como certo que o vereador já fechou acordo com o prefeito e sua gestão.

Os motivos que o vereador teria para defender um governo em ruínas, podem ser até 200, disso poucos saberão dizer seus reais motivos.