Gutson altera depoimento e PGR estuda cancelar acordo de delação

2 de dezembro de 2017 | _
A Procuradoria Geral da República estuda rescindir o acordo de colaboração premiada com Gutson Reinaldo, que firmou acordo de contribuição com o Ministério Público do Rio Grande do Norte e o MPF no RN.

A matéria é do jornalista Dinarte Assunção e publicada no blog do BG,

Segundo Assunção, o acordo entre o réu e MPRN e o MPF, pode ser cancelado devido as contradições criadas por Reinaldo, onde ele altera tudo que havia dito em sua delação, entrando em contradição com o que teria declarado inicialmente aos membros do Ministério Público.

Ao MP Gutson teria declarado na 1º versão que havia um acordo entre o deputado Ricardo Motta e o desembargador Cláudio Santos, onde amos teria feiro uma espécie de nepotismo cruzado entre os poderes (Tribunal de Justiça, o Tribunal de Contas e Assembleia Legislativa).

Quando convocado pela 2ª vez o réu declarou que não existia nenhuma acordo entre as autoridades e que seu depoimento não tinha fundamento, isentando assim Motta e Santos.

A PGR fez o cruzamento com as informações do réu e não viu nenhuma ligação do desembargador com o deputado no caso.

Nos depoimentos da ex-procuradora da ALRN, Drª Rita das Mercês, mãe de Gutson, envolvida no âmbito da Operação Dama de Espadas, Rita das Mercês afirmou desconhecer os fatos narrados por Gutson na primeiro depoimento.

A PGR passou então a questionar a validade do que o delator entregou à promotoria.