Centrais sindicais ajudam Temer a ganhar tempo para aprovar Reforma da Previdência

9 de dezembro de 2017 | _
Em nova reunião, as centrais sindicais traem mais uma vez a luta contra a Reforma da Previdência, pois se negaram a marcar uma nova data de greve geral e de organizar um plano de lutas, dando tempo para Temer comprar os votos para aprovar este ataque histórico.


Ocorreu hoje, 8, uma reunião das centrais sindicais, na qual participaram as patronais Força Sindical, UGT, e as petistas CUT e CTB, para decidir sobre o que fazer em relação à luta contra a Reforma da Previdência. A cúpula dessas centrais, sem partir de qualquer decisão do conjunto dos trabalhadores dos sindicatos indignados com as reformas, se negou a marcar uma nova data de greve geral para lutar contra esse brutal ataque que é a Reforma da Previdência.

Marcaram apenas um dia nacional de paralisação para a próxima quarta-feira, que é insuficiente frente a magnitude do ataque que está sendo colocado e à indignação que ele gera nos trabalhadores