Picciani fica afastado até fevereiro de 2018

19 de novembro de 2017 | _
O presidente da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), Jorge Picciani (PMDB), tirou licença do cargo para se defender das acusações de suspeita de recebimento de propina das empresas de ônibus que atuam no Estado do Rio.

Em nota distribuída neste domingo (19) pela assessoria de imprensa da Alerj, Picciani anuncia que estará afastado de suas funçõeções legislativas até fevereiro do ano que vem.

Picciani e seus correligionários Paulo Melo e Edson Albertassi foram presos no âmbito da operação Cadeia Velha, desdobramento da Lava-Jato, na última quinta-feira (16). O mandado de prisão foi expedido após uma turma de juízes do Tribunal Regional Federal da segunda região determinar, por cinco votos a zero, o encarceramento dos parlamentares e seu consequente afastamento.