Release da prefeitura de Macau expressa transparência como alicerce de gestão

18 de outubro de 2017 | _
Através de um release chinfrim de sua assessoria, como tem sido praxe, a prefeitura de Macau quer mostrar "gestão transparente". No release ainda afirma que "transparência" é uma das principais metas do plano de governo do prefeito Tulio Lemos.

A puxação de saco continua dizendo que o prefeito "inova" em suas ações.

Mas, sem querer ser dedo duro e acusador, vamos pedir a assessoria que antes de sair por aí falando em transparência, primeiro esclareçam sobre o dinheiro que sumiu dos caixas de 31 de dezembro a 02 de janeiro. De uma formula mágica a "gestão transparente" faz desaparecer mais de R$ 1,7 milhões.

Essa façanha deixa centenas de prestadores de serviços com cheques devolvidos por falta de credito nas contas da prefeitura, culpando o ex-prefeito Einstein Barbosa de fraude, sendo que o mesmo comprovou com papéis (extratos bancários) em sua time line (FACEBOOK) que havia deixado credito em contas: 

Conta nº 5628-6 (Conta Única) = R$ 844.776,84. 
Conta nº 21.981-9 (Fundo da Educação) = R$ 661.816,31. 
Conta nº 10.244-X (Fundo de Saúde) = R$ 185.747,07 
Conta nº 8453-0 (Royalties) = R$ 42.277,97.

Enquanto a prefeitura espalhava que teria encontrado apena R$ 3 mil (três mil reais).

Pergunto: Aonde está a transparência?