Presidente Temer vê base de apoio encolher próximo à votação da denúncia na câmara

22 de outubro de 2017 | _
Temer e, os escudeiros acusados de envolvimento com organização criminosa e obstrução da justiça e todo seu governo, não tem poupado esforços para garantir a rejeição da 2ª denúncia na Câmara dos Deputados na próxima quarta (25). Parece que nem mesmo o grande derrame de divisas tem levado tranquilidade ao Palácio do Jaburu. Segundo a colunista Monica Bergamo da Folha, o governo está preocupado com a contabilidade dos votos. A nota divulgada aponta que a base de Temer na Casa Legislativa encolheu.

O presidente e os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria-Geral, denunciados pela Procuradoria Geral da República por organização criminosa e obstrução de justiça, para serem processados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) é necessário que 342 deputados acatem a investigação pela corte.

Ainda de acordo com a publicação, a contabilidade do governo feita nesta semana soma prováveis 250 parlamentares a favor de Temer. A nota afirma que, desta vez, será preciso "muito suor” para o placar chegar a 260 votos.

Na 1ª denúncia da PGR contra Temer, a acusação foi de corrupção passiva. Foi a 1ª vez que um presidente da República se tornou alvo de um pedido de investigação no exercício do mandato. Na ocasião, 263 deputados votaram a favor do relatório que orientava pela rejeição da denúncia.

Na quarta será apreciado o relatório do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que também recomendou a rejeição da autorização para que Temer seja investigado pelo STF.