João Doria diz que Lula preso seria um "erro histórico" que iria "incendiar o país"

6 de outubro de 2017 | _
O prefeito tucano se posicionou contrário à prisão de Lula em meio ao processo eleitoral, defendeu que a "Justiça faça Justiça" e comentou o cenário que se desenha para a disputa presidencial em 2018.


Na última quarta-feira, o prefeito de São Paulo João Doria (PSDB), em almoço com empresários franceses e brasileiros, afirmou que uma possível prisão do ex-presidente Lula em meio à corrida eleitoral seria um "erro histórico", "a pior hipótese à Justiça".

Para Doria, "Mesmo que Lula não seja candidato, ele vai ter um preposto e serão dois a fazer campanha. Se prenderem o Lula, pior ainda, porque ele vai se vitimizar e aí incendeia o país". Ele afirmou também que o processo eleitoral já começou, e que seria "democraticamente aceitável" que Lula pudesse fazer a campanha e seguir até outubro, deixando as possíveis sentenças dos processos em que Lula está sendo indiciado para depois das eleições.

O prefeito de São Paulo, afirma que é preciso que se "tenha sensibilidade também de não emitir uma sentença durante o processo eleitoral". E completou: "Creio que para o país seria arriscado ter uma liderança como a do ex-presidente preso. Poderia criar uma conturbação muito grande."