Temer recebeu propina de Angra 3

13 de setembro de 2017 | _
O doleiro Lúcio Funaro em delação confirma que havia pagamento de propina a Michel Temer pelos contratos de construção da usina de Angra 3.

Funaro, chamado gentilmente pelo jornal de “corretor” listou “quatro pessoas como operadores do presidente: José Yunes, seu ex- assessor, Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura, Marcelo Azeredo e o coronel João Batista Lima Filho. De acordo com o relato, Yunes seria o principal intermediário e usava a empresa de Lima, a Argeplan, para lavar os ganhos indevidos com o contrato de Angra 3”.

A informação foi publicada no site do jornal O Globo.

Não é nenhuma "bomba", o que Lúcio revela o Brasil já sabia.

De acordo com a publicação, Funaro afirmou que Temer tinha 4 principais operadores. O ex-assessor José Yunes, o ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi, além de Marcelo Azeredo e o coronel João Batista Lima Filho.

Segundo o jornal, o delator disse que o principal intermediário do esquema era Yunes. Ele usaria a empresa Argeplan, do coronel Lima, para lavar dinheiro sujo de Angra 3.

Outros delatores já haviam dito aos investigadores da Lava Jato que políticos do PMDB estavam envolvido em esquema de propina na obra da usina nuclear Angra 3.