Com operações suspensas a partir do dia 12 aeroporto de Natal que custou R$ 500 milhões segue no abandono

5 de setembro de 2017 | _
O aeroporto de Nata, localizado em São Gonçalo do Amarante na Grande Natal -- Asa Norte da Capital Potiguar -- Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, deu início a suas atividades comerciais em (31 de maio de 2014), há exatamente 3 anos e 3 meses.

O novo terminal tem capacidade para 6,2 milhões de passageiros por ano e, contou segundo a Inframérica (responsável pelo terminal), com investimento de R$ 500 milhões em sua construção que na época foi o primeiro aeroporto brasileiro administrado exclusivamente pela iniciativa privada.

Hoje, 3 anos depois, o aeroporto apresenta claros sinais de abandono.

A pista do aeroporto apresenta sérios problemas de avarias e passará por reformas (conforme post anterior), tendo suas operações limitadas no período diurno, funcionando das 06 às 18 hs por um período de 30 dias com operações suspensas das 18 às 06 hs causando transtorno para usuários.

Não bastasse o transtorno causado pelas reformas na pista, o aeroporto Internacional Aluísio Alves, ainda passa por problemas de infraestruturas internas, como o blog já havia mostrado com exclusividade (veja aqui).

Se você achou muito... confira agora mais este descaso com o melhor aeroporto do Brasil em 11 itens de qualidade eleito pela Secretaria de Aviação Civil, do governo federal em 2015.

Com duas esteiras para triagem de bagagem, apenas uma encontra-se em funcionamento.


Se você pensou que quebrou, errou!

A empresa que presta o serviço desligou uma das esteeira por falta de pagamento do aluguel das máquinas, (informação segundo fonte). Ocasionando à demora de despacho e aumento de tempo do usuário nas filas e dificultando o trabalho dos colaboradores das empresas aérea.

O Scanner que faz a leitura das bagagens, há meses encontra-se enguiçado. Quebrado facilita a passagem de objetos e drogas, entre outras coisas proibidas.


Outro absurdo foi o que aconteceu com os bebedouros com água mineral do aeroporto, retirados pro contenção de despesas e trocados por uma ligação que vem diretamente de poços. Detalhe: Sem ter havido nenhuma inspeção da ANVISA.

O blog foi informado que muitos funcionários que utilizam da água que vem dos poços chegam a passar mal. A água é salobra e ao abrir as torneiras sai misturada a uma grande quantidade de pó, e o gosto é terrivelmente amargo afirmou um colaborador. Marcas de sal são deixadas por onde passa a água de parede abaixo do bebedouro ao ralo.
Colaboradores reclama também do local onde foram instalados os novos bebedouros, de um lado banheiro do outro, as lixeiras.
No post do blog de 6 agosto Descaso em Aeroporto Aluísio Alves coloca vidas de funcionários em risco mostra partes da fachada  do aeroporto sem vidro devido terem sido mal colocados, hora cai um hora cai outro, pondo em risco a vida dos profissionais colaboradores.

Os vidros segundo levantamento de uma empresa especializada em fachada de vidro, afirmou que os mesmos foram colocados de forma errada. O orçamento de uma tela de proteção custaria para resolver o problema R$ 3 milhões. A Inframérica não interessou e contratou uma outra empresa para orçamento de quanto custaria mudar toda a fachada. O valor apresentado neste caso foi de R$ 8 milhões. Mais uma vez a Inframérica não interessou.

Até aqui nada foi resolvido e vidros que pesam até 1000kg ainda continuam a cair pondo em risco a vida de funcionários que transitam pelo local.